The 100 3ª Temporada: Jason fala sobre reação dos fãs, futuro da série, spin-off e mais

3

O produtor executivo de The 100 finalmente quebra o silencio sobre a morte de Lexa

Vamos esclarecer uma coisa: matar um personagem nunca é uma decisão feita as pressas. Produtores e roteiristas estão sempre explicando a mágoa de dizer adeus aos atores e aos seus personagens, pois, apesar do que algumas pessoas pensam, eles não são os monstros da história.

Eles são seres humanos que vem a amar o seu elenco e seus personagens, tanto quanto nós amamos, mas eles também estão contando uma história. Ás vezes essas histórias acertam em cheio, ás vezes as reviravoltas na história fazem você se retorcer.

Nas últimas semanas desde a morte de Lexa em The 100 (Alycia Debnam-Carey) na sequencia do tão esperado momento, porém muito breve, de felicidade com a Clarke, houve um clamor entre os fãs, grupos LGBTs e a mídia.

Será que o show se enquadra no histórico de TV’s e tropa vergonhosa de matar personagens lésbicas e bissexuais? Houve muito exagero #Clexa nas mídias sociais antes do episódio? Será que eles perceberam o quão dolorosa essa decisão foi? Como a série se prepara para uma apresentação na WonderCon de Los Angeles neste domingo, o produtor executivo e criador da série Jason Rothenberg falou exclusivamente com o TVInsider.com sobre o que ele aprendeu com essa controvérsia, porque ele nunca teria a intenção de machucar a comunidade LGBT e como ele pretende enfrentar os fãs na convenção.

OK, então você estava ciente do alvoroço que a morte da Lexa causaria, certo? Isso é algo que vocês deveriam imaginar que aconteceria

JR: Sim e não. Primeiro de tudo, eu acho que eu começaria dizendo que nas duas ultimas semanas, eu tive pensado muito sobre nada mais do que isso. Levei algum tempo para processar tudo, e eu tenho escutado e lido tudo o que eu posso. Eu me mantive afastado do Twitter porque eu não queria piorar a situação, e eu me senti como se eu não quisesse moldar essa conversa. Eu só queria ouvir e tentar entender. Quero dizer, nós ficamos um pouco surpreso com tudo-obviamente, não sobre as pessoas estarem tristes, você está certo em dizer que nós meio que sabíamos o que aconteceria. A história que estamos contando é uma tragédia, Lexa era uma personagem significativa para os nossos fãs, especialmente para os LGBT, por isso eu sabia que seria emocionante, é claro. O inesperado foi o nível de sofrimento que é gerado por algumas pessoas, mas eu acho que eu passei a entender isso.

Nós já vimos isso em séries com fortes bases de mídia social. Quanto mais alto o sofrimento, mais preocupante será.

JR: Sim, a morte da Lexa desencadeou um real trauma emocional para algumas pessoas, sabe? Isso passou para o mundo real, passou para as suas vidas, e como um homem branco heterossexual, eu obviamente não fazia ideia do quanto isso afetaria algumas pessoas. Agora eu vejo e me dou conta que se alguém teve esse tipo de reação, e em seguida olhamos para trás na forma como me comportei no Twitter, celebrando esta relação e então a esmagando… eu  posso entender porque estão me condenando. Eu espero que as pessoas entendam isso.

Como não há vitórias no Twitter, o que você quer dizer aos seus fãs agora?

JR: Eu diria, primeiro de tudo, que eu levei um certo tempo para obter perspectiva sobre eu mesmo e me colocar na posição de alguém que tenha sido ferido assim. E eu espero que com o tempo eles possam começar a colocar-se em nossa posição e entender que nós nunca iriamos querer machucar ninguém assim. Nós nunca iriamos querer machucar nossos fãs. Nós os amamos, nós os devemos tudo, nós devemos a eles o fato de conseguirmos a renovação para a 4º Temporada.  Nós queremos leva-los a um passeio, nós não queremos prejudica-los. Nós não nos antecipamos sobre esse nível de dor por essa morte fictícia, estávamos fazendo o que sempre fazemos no Twitter, comemorando o trabalho pelo qual estamos orgulhosos. Em retrospectiva, sabendo o que eu sei agora, percebendo as coisas que eu percebi, deveríamos ter feito menos disso. Deveríamos ter feito menos alarde por sabermos onde isso ia acabar e sabendo que isso afetaria as pessoas.

jason-intrevista-the-100-img-1

Mas isso não teria mudado a história que você está contando.

JR: Não, absolutamente não. Nós teríamos contado a mesma história. Eu estou por trás da história; Eu só não acho que eu teria mudado a minha maneira de dizer ‘’este é o melhor episódio que já fizemos’’. Ninguém realmente sabia que isso aconteceria então agora que nós vimos tudo isso, a ideia para mim como um showrunner daqui para frente é aprender lições com isso, sabe? Esta é uma série onde personagens morrem. Essa é outra razão por estarmos tão surpresos… é um mundo pós-apocalíptico situado a 100 anos pra frente, em que qualquer pessoa pode morrer.

Você matou crianças, você matou pessoas de cor, você matou grounders e homens da montanha. Você tem um número de mortos sem descriminação nessa série.

JR: Isso é verdade, esse é um mundo em que tratamos todos de forma igual e eu sinto que isso inclui, por acaso, a maneira pela qual as pessoas morrem. Outra razão pela qual fiquei surpreso, até certo ponto, pela negatividade na reação (a morte da Lexa) é que nós criamos este mundo onde não importa de que cor você é ou se você é um homem ou uma mulher ou quem você ama, se você é gay ou hétero. É uma questão de sobrevivência, é sobre ‘’você pode me ajudar a sobreviver hoje?’’ E, a propósito, eu não sou ingênuo para saber que o mundo real não é assim, eu sei que o mundo real não é assim. É por isso que a ficção cientifica é um grande gênero, porque podemos tentar criar um ponto e enviar mensagens, e a mensagem aqui é a raça, sexualidade, essas coisas não deveriam importar, e isso se estende para o modo em que os personagens morrem. Neste mundo, não importa, você pode morrer se você é gay ou hétero, você pode morrer se você é um personagem regular ou não. Esta vai ser uma temporada insana… já está sendo uma temporada insana. Mais personagens que amamos irão morrer nesta temporada e isso vai acontecer em breve.

Espere, o que?

JR: (Risos) eu acho que as pessoas precisam estarem preparadas para isso.

Você e alguns atores do elenco estão indo para a WonderCon em Los Angeles neste fim de semana. Você está preparado para enfrentar uma multidão potencialmente hostil?

JR: Quer saber, eu sinto que ir nessas convenções é uma honra com certeza, e eu sempre fico nervoso com isso. Mas eu estou ansioso para ficar frente a frente com os fãs e falar com eles, ter um real diálogo sobre isso, se isso é algo que os fãs querem. É uma honra e um privilégio, é realmente o maior privilégio da minha vida -além de ser o pai dos meus filhos e o marido da minha esposa- ser o criador dessa série e eu realmente amo a oportunidade de falar sobre isso sempre que possível.

Esta história ainda não acabou, e envolve níveis de reencarnação. Isso é algo que você está olhando tão longe quanto a introdução de um novo personagem para a Clarke amar?

JR: Para ser honesto. Clarke está experimentando a perda de alguém que ela amava, e você sabe, essa é uma série em que as pessoas não superam as coisas rapidamente. Isso vale para lesões físicas, bem como as emocionais, então a Clarke estará lidando com um coração partido. Nós estamos, você está certo, em um mundo de reencarnação tecnológica, que é outra razão para que a história da Lexa tinha que terminar em morte, porque para chegar a reencarnação, alguém precisa morrer antes. E agora, estamos contando uma história em que uma mente humana pode ser upada na Cidade da Luz. Nós estivemos lá, nós vimos que as pessoas caminham na Cidade da Luz, e essa chama que saiu da cabeça da Lexa, o que significa? Eu não quero dar spoilers e certamente eu não quero provocar se Lexa voltará ou não, mas isso é um fato tecnológico em nosso show.

Então existe a possibilidade de algum tipo de momento de resolução para os fãs que estão devastados por isso.

JR: Sabe, todo tipo de acusação tem me deixado muito sensível em relação a responder uma pergunta como essa. Eu diria que definitivamente estamos vivendo em um mundo de reencarnação, onde a mente humana pode ser upada em uma chama e na Cidade da Luz, vemos as pessoas do mundo real, temos visto Jaha lá, nós temos visto A.L.I.E lá, vimos outros personagens lá, então tudo é possível, mas eu não quero revelar muito.

E isso tem sido o plano o tempo todo, certo?

JR: Oh, 100%. O bolo foi cozido sobre isso bem antes de ir pro ar. Nós terminamos de filmar tudo antes mesmo de ir ao ar. Eu estava realmente no set filmando a finale quando a premiere foi ao ar.

E o que Alycia e Eliza disseram sobre essa reviravolta quando foram informadas? Como elas reagiram?

JR: Não me lembro quando de quando eu contei a elas a história, mas eu acho que quando eu as disse que Lexa morreria e isso seria o evento mais significante da temporada, eu estava ligando para todos da série tanto para os Skykru quanto para os Grounders. Então, em um nível de mundo-criação, e em um nível de enredo nesta temporada, foi o ponto de desembarque que todos estavam sendo orientados. Alycia foi deslumbrante com isso, sabe? Parece louco eu sei, que uma Inteligencia Artificial saia da parte de trás da sua cabeça. Eu sei que fazer essa cena foi incrivelmente emocional e poderoso. Eu só estou deslumbrado pelo quão emocional e incrível essa atuação foi.

Como você prepara o elenco para algo como WonderCon quando há tanta coisa para falar e ainda há tanto que você não pode dar spoiler sobre?

JR: Sabe, esse elenco está por toda a parte do mundo fazendo convenções, então eles tem prática com isso! Eu acho incrível que essas convenções estão acontecendo, por isso eles são melhores nisso do que eu, francamente. Eles vão me preparar sobre como lidar com a situação (Risos).

the-100-entrevista-mais-personagens-irao-morrer-3-temporada

Você tem planos para trazer qualquer grande notícia ou você está planejando alguma surpresa?

JR: Nós temos planos de mostrar algo para o publico antes de começar o painel. Eu não acho que eu deva entrar em detalhes, mas é algo que as pessoas ficarão animadas em ver. Com essa série é sempre difícil porque estamos tentando projetar a experiência de ser o mais surpreendente possível. Spoilers são os piores. E é realmente disso como você sabe, porque nós conversamos tantas vezes agora- como você fala sobre essa série em dar spoilers? Eu acho que quando a temporada acabar, eu gostaria de sentar e ter uma conversa série detalhada sobre isso.

Eu estou disposto a isso. O que você pode nos dar, sobre o que está por vir até a semana da convenção, que também é o seu primeiro episódio após o hiatos.

JR: O episódio 9 é incrível, é outro episódio sombrio. Nós sabemos que alguns personagens estão presos, nós voltaremos para Polis e veremos a pós-morte da Lexa, começaremos a entender o que é o conclave. Vamos apenas dizer que as coisas irão se desenrolar a partir de lá e veremos a Clarke fazer o que ela sempre faz, que é compartimentar e encontrar uma maneira de sugar a sua dor e ser a nossa heroína tentando salvar seu povo mais uma vez. Com a perda da Lexa, ela tem que se preocupar se o novo comandante vai ser ou não seu aliado. Então, vamos vê-la fazendo o que as pessoas fazem em suas vidas quando coisas terríveis acontecem, quando a tragédia os atinge. Ela vai tentar seguir em frente e fazer o que ela precisa para salvar o seu povo.

Há chances de vermos mais episódios no passado a bordo de Polaris?

JR: Eu amei essa história. Eu estou esperando desde o começo para trazer a história original, porque foi isso que ela foi. Foi a origem da Arca, o fim do mundo. Eu acho que Javier (Grillo-Marxauch), o escritor do roteiro, fez um grande trabalho trazendo a mitologia da segunda Inteligencia Artificial. Cada uma dessas cenas é tão densa e rica e isso é uma coisa de difícil de se fazer porque nenhum dos personagens da série, além de Erica Cerra interpretando Becca, estão nessas cenas. Mas eles ainda assim foram fascinantes e emocionais.

Eu quero saber o que aconteceu com todas aquelas pessoas lá em cima.

JR: Spin-off.

É disso que eu estou falando, vamos conseguir isso!

JR: Bom ,nós estamos falando sobre a mesma coisa. Estamos falando tanto sobre continuar a história em The 100, e há a possibilidade de explorar outros períodos de tempo, de certa forma.

Tudo bem, bom, quando você estiver pronto para falar sobre isso, me avise.

JR: Se os fãs quiserem e gritarem alto o suficiente, talvez eles consigam.

The 100 retorna com sua 3ª temporada em 31 de Março de 2016 no EUA pela CW. No Brasil a série é exibida todas as segundas-feiras pela TV fechada na emissora MTV.

Fonte: TV Insider

Tradução:  Mariana C. Zaniboni

Quer ficar por dentro de TUDO sobre a série e os livros? Acesse nosso site diariamente e nos siga no Twitter: @The100Brasil