Bob Morley fala sobre o crescimento de seu personagem Bellamy em The 100

0

Praticamente todos os personagens de The 100 tiveram uma dramática transformação durante as três temporadas: adolescentes delinquentes se tornaram fortes guerreiros sobreviventes. Os adultos da Arca se tornaram instáveis lideres na Terra. O Chanceler se tornou um messias da Cidade da Luz.

Para Bob Morley, Bellamy Blake passou por uma fase que o levou de irmão dedicado a líder babaca, torturador de Grounders, guerreiro infeliz e espião apreensivo – bom, vocês entenderam. E na terceira temporada – spoilers adiante – Bellamy optou por salvar o seu povo lutando contra os Grounders ao lado do sanguinário Pike (Michael Beach), abandonando os planos de paz de Kane (Henry Ian Cusick). A revira volta deixou os fãs preocupados – afinal, o desenvolvimento do caráter de Bellamy tinha o levado para longe de seus métodos delinqüentes – e a reação dos fâs fez com que o showrunner Jason Rothenberg respondesse ao twitter.

Para Morley, na terceira temporada é complicado dizer se Bellamy está com os bons ou maus rapazes; pois ele não vê Kane ou Pike se enquadrarem em nenhum dos dois. Pouco depois de terminar as filmagens da terceira temporada, Morley falou sobre o crescimento de seu personagem com a ENTERTAINMENT WEEKLY

EW: Ao longo da exibição do programa, Bellamy basicamente passou de delinqüente ‘de fato vilão dos Arkers’ para soldado confiável. Qual é o seu papel agora, na terceira temporada?

BM: Eu acho que na Terceira temporada, ele está realmente tentando definir quem ele é. Ele se afastou do papel de liderança, e está sob as asas de Kane sendo modelado para ser um bom líder, ao invés de ser tão impulsivo e emocional ao tomar uma decisão. Mas com a chegada de Pike, as coisas saíram um pouco do eixo, e as emoções de Bellamy vão o tornar melhor. Ele não pode deixar de ser apaixonado e voltar aos seus antigos modos de ser um líder emocional, que é o oposto de ser um líder pragmático.

EW: Então ele decidiu que é melhor lutar do que manter a paz?

BM: Pode ser um pouco mais complicado do que isso. Pike apelou para o seu lado emocional mais do que o Kane fez, e em termos de escolher lados, ele sempre está em cima do muro… A sua mente é muito embaçada. Eu não acho que tenha realmente um lado bom ou um lado ruim. Pike ou Kane, eu acho que ambos tem argumentos válidos.

EW: Como você acha que Bellamy mudou para chegar a esse ponto?

BM: Bellamy foi, como você disse, uma espécie de arrogante branco e preto, mas ele sempre teve um coração, e a sua irmã foi a chave para isso. Ele tem um grande coração, mas tomará decisões precipitadas baseadas em suas emoções. No seu desenvolvimento, eu sinto que ele se manteve fiel durante todo o caminho… embora ele tenha um cabelo melhor agora. (Risos)

EW: A série está sendo elogiada por se tornar mais obscura e corajosa a cada temporada. Houve algum momento na série em que você percebeu o quão obscura ela iria se tornar?

BM: Eu acho que para a maioria, foi por volta da primeira temporada, no episódio 4, quando o Murphy é enforcado e a Charlotte comete suicídio. Nós ficamos tipo ‘’Oooh, okay!’’. Para ser honesto, eu não tinha idéia que a série iria chegar a isso, e eu não compreendia o que o show poderia se tornar quando eu comecei o piloto. Os lugares que nós vamos nessa temporada são muito, muito obscuros, e tem cenas em que me envolvi em que tive que tive que sair, porque eu achei muito perturbadora. É muito angustiante, na verdade, e eu estava chocado com a obscuridade e violência nessa temporada.

The-100-season-3-episode-4-Bellamy-2

EW: De quais cenas você se lembra em que não se sentiu confortável?

BM: Qualquer uma das cenas de tortura, eu não me sentia confortável torturando Ricky (Wittle, que faz Lincoln). Eu pessoalmente não gosto de armas, então apontar uma arma para alguém ou ter uma arma apontada para mim me faz sentir muito inconveniente. Eu acho que eles são um flagelo. Isso não me enche de alegria, sendo o cara com a arma. Ele ama armas, ele ama lutar, e eu fico tipo ‘’Ahhh!’’ (Risos).

EW: Claramente, a história de Bellamy nesta temporada tem muito a ver com Pike e com os Arkers, o que mais você pode nos dizer sobre o resto desta temporada?

BM: Teremos a questão da sustentabilidade e não haver comida suficiente, isso vai ser um grande problema para todos na Terra. Apesar disso não ser muito aprofundado, é o que irá impulsionar o Pike… Alie obviamente é alguém que precisamos ficar atentos, ela desempenha um grande papel. A terceira temporada irá se tornar um pouco sci-fi, e até mesmo eu e o resto do elenco tivemos que ler e reler os scripts para nos certificarmos do que todos estavamos seguindo o que está acontecendo com o mundo da inteligência artificial. Para minha sorte, Bellamy ficou no escuro sobre toda essa coisa, então eu poderia facilmente ficar no mudo sobre isso. Assistindo Bellamy ficar um tanto quanto para trás (do mundo high-tech) é divertido. A sua história sempre foi do tipo baixa tecnologia.

EW: O Bellamy é da baixa tecnologia, mas e sobre você e o seus fãs online? Você se mantem atualizado sobre o que eles postam?

BM: Eu costumava me manter mais atualizado, mas eu achei algumas coisas desconcertantes, que podem ou não ter influenciado a maneira que eu penso sobre o meu personagem, então eu evitava isso. É mais fácil para mim me concentrar apenas no meu trabalho. Eu compreendo que tenho muitos fãs lá fora, e eles querem o meu bem, mas eu não quero que isso influencie a forma como eu me sinto durante todo o dia ou como eu devo agir em uma cena. Talvez eu sou um pouco ludista.

A 3ª temporada de The 100 é exibida todas as quintas-feiras no EUA pela CW. No Brasil a nova temporada deve estrear em março do mesmo ano.

Fonte: Entertainment Weekly

Quer ficar por dentro de TUDO sobre a série e os livros? Acesse nosso site diariamente e nos siga no Twitter: @The100Brasil